quinta-feira, 23 de junho de 2016

ILHA DO AMOR. BEM PÚBLICO DE CAMOCIM.

Vista panorâmica da Ilha do Amor. Camocim-CE.


Em recente decisão judicial sobre o reconhecimento da Ilha do Amor (um eufemismo geográfico, visto tratar-se de uma península) como bem público de Camocim, o douto julgador apôs à sua decisão o valor histórico, visto que " a área em questão teria sido onde Vicente Pizón teria encontrado as terras alencarinas". Há muita controvérsia nessa versão, inclusive a que cabe ao navegador espanhol a primazia da descoberta do Brasil. Ainda segundo a decisão, uma "outra referência sugere que, através da foz do Rio Coreaú, que fica em frente à Ilha do Amor, ingressou a primeira expedição oficial de colonização portuguesa no Ceará, em 1603.
A respeito desta segunda afirmação não há dúvida e as referências abundam nos documentos e nas narrativas dos primeiros historiadores que escreveram sobre a presença portuguesa no Brasil. A título de ilustração, transcrevemos um pequeno trecho da obra "História do Brasil. 1500-1627", de autoria de Frei Vicente Salvador, que segundo o historiador cearense Capistrano de Abreu foi , "o primeiro livro a oferecer uma interpretação sistemática da história do Brasil”:
O mesmo fizeram depois os da outra aldeia à imitação destoutros, e foram todos marchando até o Ceará, onde, depois de alguns dias de descanso por causa da gente miúda, tornaram a marchar até um outeiro a que depois chamaram dos Cocos,porque uns sete ou oito que plantaram à tornada os viram nascidos com muito viço. E dali foram à enseada grande do âmbar e à mata do pau de cores, que chamam iburá-quatiara, depois ao Camoci, que é a barra da Serra da Boapaba, para a qual marcharam o seguinte dia, véspera de São Sebastião,19 de janeiro de 1604, antemanhã.

Deste modo, a Ilha da Testa Branca (ou Ilha do Amor), assim como Camocim, está na história desde os primeiros tempos da colonização.

Fonte: SALVADOR, Frei Vicente. História do Brasil. 1500-1627, p.292.
Foto: www.hotelilhadoamor.com.br

Um comentário:

  1. Realmente esse reconhecimento através da decisão judicial, só veio trazer vitórias para todos os camocinenses, até porque a nossa mãe natureza nos privilegiou com tanto esmero e bondade. Na realidade tirou-se um bombom da boca de um lobo (me recuso a falar criança) porque aqui na nossa terra quem tem um pouco de dinheiro se acham ricos e donos de tudo, e também se acham no direito e dever de se apoderar de tudo em sua vola que der vontade sem ninguém falar nada. Eu soube que uma dessas famílias já tinham colocado à venda esse patrimônio bem como também já estavam fazendo a partilha. Agora eu pergunto: Alguém da Marinha do Brasil, responsável por todo litoral brasileiro vendeu ou deu posse a essa família? Existe algum corretor que tenha comprado e se apossado desses bens sem o conhecimento do presidente da república? Porque todo o litoral é de responsabilidade da Marinha do Brasil, no entanto pertence à nação e pertencendo a nação o Presidente da República tem que saber quem é o verdadeiro dono. Ou não? abraço.

    ResponderExcluir