O Blog:

Amigos e conterrâneos camocinenses, a gente só dar o que tem. Quando pensamos editar um blog, este foi o pensamento: doar todo nosso esforço na construção de uma ferramenta como esta para a divulgação pura e simples da nossa história. Contudo, essa é uma oportunidade de todos participarem desta empreitada, seja comentando, sugerindo, corrigindo e, efetivamente, participando dessa grande viagem que a História nos proporciona. Que nosso "POTE" nunca encha e sacie a todos!!!

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

ASSOCIATIVISMO EM CAMOCIM: A MUTUALIDADE CAMOCINENSE

Jornal "O Rebate". Sobral-CE.1908. Arquivo: NEDHIS. Curso de História da UVA.

Desde o início do século XX e mesmo antes, que nossos antepassados se agremiavam com o intuito de melhor viverem. As associações mutuais, beneficentes, religiosas, esportivas, literárias, sindicais, político-partidárias, dentre outras, são exemplo disso e apareceram no cenário citadino obedecendo as transformações sociais que a nascente república trouxera. Deste modo, jornais e outros documentos por nós pesquisados traçam ao longo do tempo os diversos matizes que essas associações tiveram. Hoje trazemos à tona a MUTUALIDADE CAMOCINENSE que, como o próprio nome indica, tinha no mutualismo sua finalidade maior. Nas associações deste tipo o pecúlio por morte e/ou invalidez era um dos seus principais produtos. O associado contribuía com uma quantia mensal ao longo de sua vida, sendo resgatada por quem de direito, numa das situações descritas acima. O fragmento do jornal "O Rebate", de 1908, mostra a quitação de um pecúlio devido à viúva de Vicente Ferreira Capote, falecido a 15 de agosto de 1908., que contribuiu durante cinco anos na referida associação. Treze dias depois o jornal informava a quantia paga à Dona Thereza Amélia Capote: 1:374$000 (um conto trezentos e setenta e quatro mil réis). Como podemos perceber este tipo de associação é predecessora das atuais seguradoras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário