O Blog:

Amigos e conterrâneos camocinenses, a gente só dar o que tem. Quando pensamos editar um blog, este foi o pensamento: doar todo nosso esforço na construção de uma ferramenta como esta para a divulgação pura e simples da nossa história. Contudo, essa é uma oportunidade de todos participarem desta empreitada, seja comentando, sugerindo, corrigindo e, efetivamente, participando dessa grande viagem que a História nos proporciona. Que nosso "POTE" nunca encha e sacie a todos!!!

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

FATOS DA POLÍTICA DE CAMOCIM-CE - A MORTE DO DEPUTADO MURILO AGUIAR

Era 1º de março de 1985. Encontrava-me na cidade de Itapipoca fazendo um estágio no então ITERCE (Instituto de Terras do Ceará), hoje IDACE. A tarde transcorria modorrenta quando pegando uma fresca no quintal do escritório da repartição, peguei o meu portátil e aleatoriamente, sintonizei uma rádio de Fortaleza, que subitamente entrou com um repórter ao vivo transmitindo as eleições para a renovação da Mesa Diretora da Assembleia. Legislativa. Qual não foi minha surpresa ao ouvir que o então Deputado Murilo Aguiar disputava aquela eleição. Tratei de chamar os outros colegas para informar o acontecimento e assistir comigo aquele evento. Alguns já me parabenizavam pelo fato do conterrâneo ilustre estar chegando ao cargo máximo do legislativo. Pensei em como os camocinenses acompanhavam aquela transmissão, visto que era difícil sintonizar as rádios da capital. Murilo Aguiar era um político quase mitológico que povoava o imaginário de boa parte da população camocinense, endeusado por seus correligionários e odiado por adversários. Com a disputa acirrada, minha torcida aumentava a cada voto, mas, logo instalou-se uma confusão que o repórter não sabia definir bem, com a retirada do deputado para um hospital da cidade. Depois viria a notícia fatídica de sua morte. Conforme uma publicação póstuma da Assembleia Legislativa se lê:

Quando da renovação da Mesa Diretora da Assembléia Legislativa em 1985, apresentaram-se à disputa dois candidatos: Murilo Aguiar e Castelo de Castro. O primeiro, apoiado pelo Governador do Estado, Gonzaga Mota, enquanto Castelo de Castro recebia o beneplácito da oposição e do Presidente da Casa, Aquiles Peres Mota. A previsão do resultado de empate favorecia o mais velho, no caso Murilo Aguiar. A votação decorreu em clima dos mais tumultuados na história do Legislativo Cearense. Quase no final da apuração, o Presidente concluiu pela anulação de um voto favorável a Murilo Aguiar, determinando a vitória de Castelo de Castro. Não suportando o impacto do resultado , viu-se acometido de infarto do miocárdio, falecendo logo após atendimento hospitalar.
Como homenagem dos deputados, foi dado o seu nome ao Auditório da Assembléia Legislativa do Ceará.

Na transmissão radiofônica ainda pude ouvir que o voto anulado em questão tinha sido o do próprio Deputado Murilo Aguiar, o que teria contribuído ainda mais para o infarto do mesmo e até para a tentativa de revide físico contra o Presidente da Casa, Aquiles Peres Mota, por parte de alguns de seus filhos presentes. Para mim ficou a imagem de um homem que morrera em pleno exercício de sua vocação, não se evocando aqui nem qualidades nem defeitos, mas, simplesmente exercendo seu ofício.


Fonte: Ceará. Assembléia Legislativa do Estado. Memorial. Deputado Pontes Neto.Deputados Estaduais: 15a legislatura 1959-1962/ Assembléia Legislativa do Estado do Ceará. – 2. ed. – Fortaleza: INESP, 2006, p.160.


Um comentário:

  1. Professor
    Gostaria de agradecer a forma carinhosa como voce publica esse fato,mais a lagrimas no momento nao me deixam.um grande abraço
    Stelio Junior

    ResponderExcluir