O Blog:

Amigos e conterrâneos camocinenses, a gente só dar o que tem. Quando pensamos editar um blog, este foi o pensamento: doar todo nosso esforço na construção de uma ferramenta como esta para a divulgação pura e simples da nossa história. Contudo, essa é uma oportunidade de todos participarem desta empreitada, seja comentando, sugerindo, corrigindo e, efetivamente, participando dessa grande viagem que a História nos proporciona. Que nosso "POTE" nunca encha e sacie a todos!!!

sábado, 15 de junho de 2013

O TEATRO EM CAMOCIM

Peça "Paixão de Cristo". Cristo (Evanmar) sendo tentado pelo Diabo (Prof, Totó). Foto: Arquivo Evanmar Moreira.
Pode parecer bairrismo, mas, a cada dia me convenço mais de que Camocim é uma destas cidades que não foi  apenas bafejada pelas belezas naturais não! A criatividade e talento dos camocinenses tem quer ser vista como um capital cultural a ser protegido e incentivado. Os jovens cinquentões camocinenses sabem do que estou falando e muitos deles, fizeram do teatro em suas apresentações ocasionais seu divertimento e lazer, mas também da sua formação. Ainda quando adolescente, presenciei essa arte inata que todos nós carregamos, sistematizadas em peças, seja em locais públicos e privados - estes, especialmente nas escolas, já que não dispomos de teatros, na verdadeira acepção da palavra. Portanto, apresentações no Instituto São José, Colégio Estadual, João Ramos, ou na marquise da Padaria e Confeitaria Litorânea e até nas ruas da cidade, foram momentos vividos e assistidos pelos camocinenses na década de 1980 principalmente, onde pontificavam no Grupo de Teatro Amador Pinto Martins, jovens atores como Evanmar Moreira, Inácio Santos, Marcelo Marques, Girleide, Itamar Araújo, só para citar estes, comandados pelo onipresente Antonio Alberto da Paz, o Prof. Totó. Quem não se lembra das "Paixões de Cristo", "Médico à força", dentre outras peças? Tudo isso me veio à mente como um turbilhão quando assisti no último dia 06 de junho a apresentação do relatório final de pós-doutorado no Rio de Janeiro do professor de teatro e ator Paulo Sérgio Brito sobre o ator espontâneo, isto é, a partir de um grupo de Fortaleza que faz um curso de teatro, não para serem atores profissionais, mas de utilizá-lo para ser pessoas melhores, cidadãs, e curar seus males. A performance do professor e ator referido, que é também camocinense, me transportou para um tempo em que meninas e meninos brincavam alegremente nas ruas teatralizando suas brincadeiras, assistindo aos "dramas" improvisados nas casas de família, aos "espetáculos"
Paixão de Cristo. ISJ. Foto: Arquivo Evanmar Moreira
nos quintais à moda de um circo, ou mesmo na descoberta dos corpos e da sexualidade brincando de médico e paciente. Está faltando teatro prá essa mocidade e , mais de uma vez já conclamamos daqui deste espaço este equipamento para a cultura camocinense.

2 comentários:

  1. Boas recordações...
    Prezado Professor Carlos Augusto, permita-me incluir, além do nomes já citados, outros nomes como Stenio Moreira, Abelardo Marques (Choia), Gilberto Araújo, Valdeglácio, Paulo (kid, também) Aécio e muitas jovens garotas.
    Mas, quanto à estas, não citarei os nomes para preservá-las de que estavam em tão 'boas' companhias. Imagine!?!?!
    Por um período curto, também participei deste grupo de Teatro sob o comando do Prof. Albertinho...
    Lembro de termos feito apresentações, exatamente às duas peças citadas, "Paixão de Cristo" e "Médico à força", onde eu representei São Pedro e um dos Soldados, respectivamente!
    A primeira, nos apresentamos em Bitupitá, Barroquinha, na época, distritos de Camocim, bem como, na Igreja Matriz Bom Jesus dos Navegantes, durante a Semana Santa.
    Já a segunda peça, hilariante, além de Camocim, estivemos ainda em Tianguá e Viçosa do Ceará. Tempos bons!!!

    ResponderExcluir
  2. Obrigado Gouveia, por comentar. Este período daria com certeza uma boa pesquisa e um grande livro

    ResponderExcluir