O Blog:

Amigos e conterrâneos camocinenses, a gente só dar o que tem. Quando pensamos editar um blog, este foi o pensamento: doar todo nosso esforço na construção de uma ferramenta como esta para a divulgação pura e simples da nossa história. Contudo, essa é uma oportunidade de todos participarem desta empreitada, seja comentando, sugerindo, corrigindo e, efetivamente, participando dessa grande viagem que a História nos proporciona. Que nosso "POTE" nunca encha e sacie a todos!!!

sexta-feira, 7 de julho de 2017

I CENTENÁRIO DO TG 10 001 EM CAMOCIM. HOMENAGEM AOS ATIRADORES

Ainda como parte das comemorações do I Centenário do TG 10 001 de Camocim, o blog enfatiza hoje a mensagem aos atiradores lida em Sessão Solene no último dia 03 de julho na Câmara Municipal de Camocim. Na oportunidade foi homenageado o Sr. Francisco Laurindo de Menezes como um dos atiradores mais velhos do nosso município.

TG 10 001 de Camocim. Turma Centenário. 2017. Foto: Wanderson Lima.
 homenagem AOS ATIRaDORES

Todo ano os jovens brasileiros são convocados aa serem matriculados no serviço militar obrigatório de acordo com a Lei do Serviço Militar (LSM). Ao serem inscritos, recebem a denominação de “ATIRADORES”, cuja designação é oriunda das “primeiras sociedades de Tiro ao Alvo do Brasil, com finalidades militares e de formação da reserva para o Exército, e que foram embrionárias dos atuais TG”.
Se fôssemos colher depoimentos dos milhares de jovens que passaram pelo nosso TG 213, 250 e 10 001, certamente a grande maioria deles teriam boas lembranças deste tempo de convívio social, do exercício da disciplina militar, do serviço à comunidade local e do aprendizado em geral.
Deste modo, os Tiros de Guerra “permitem de uma forma criativa, inteligente e econômica proporcionar a milhares de jovens brasileiros, principalmente os que residem em cidades do interior do país, a oportunidade de atenderem a Lei e prestarem o Serviço Militar Inicial. Mais que o caráter obrigatório da Lei, essa modalidade de Serviço Militar, configura um direito do cidadão em poder dar sua contribuição, para à defesa da Pátria, conciliando sua vida cotidiana, com rotinas como trabalho, estudo e convívio familiar”.    
Neste sentido, como já vimos nas mensagens anteriores, em Camocim, esta tradição verde-oliva remonta ao Tiro Infantil de 1912 quando pela iniciativa do vereador e jornalista Júlio Cícero Monteiro, as crianças camocinenses e, posteriormente, os jovens tiveram oportunidade de serem atiradores e poderem ter contato com os melhores quadros do Exército Brasileiro, aprendendo com as “instruções e bons exemplos de trabalho comunitário, campanhas cívico-sociais, defesa civil, o desenvolvimento de atributos da área afetiva, a prática diária de virtudes militares, conciliado com as instruções de atitudes contrárias e de combate aos vícios, podendo configurar em poderoso instrumento de formação e desenvolvimento do caráter do jovem cidadão”.
O TG 10 001, neste sentido, não é apenas uma instituição militar. Ele e o conjunto de seus atiradores são também aspectos da nossa paisagem citadina, às vezes acordando a cidade com seus exercícios matutinos em nossas ruas, embalados com seus coros de bom humor e guerra, ou desfilando garbosamente nos desfiles oficiais      
Vida longa, portanto, aos instrutores e atiradores que fazem parte da história secular do Tiro de Guerra de Camocim 10 001.
 
Tiro de Guerra 213 de Camocim em frente à Estação Ferroviária. 1928. Fonte: O Malho. RJ.


Nenhum comentário:

Postar um comentário