O Blog:

Amigos e conterrâneos camocinenses, a gente só dar o que tem. Quando pensamos editar um blog, este foi o pensamento: doar todo nosso esforço na construção de uma ferramenta como esta para a divulgação pura e simples da nossa história. Contudo, essa é uma oportunidade de todos participarem desta empreitada, seja comentando, sugerindo, corrigindo e, efetivamente, participando dessa grande viagem que a História nos proporciona. Que nosso "POTE" nunca encha e sacie a todos!!!

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

O RÁDIO COMUNITÁRIO EM CAMOCIM

Falar sobre o rádio em Camocim precisaria uma pesquisa muito profunda, se fôssemos realmente buscar a origem deste meio de comunicação que ainda hoje possui uma agilidade impressionante, principalmente o Rádio AM. Precisaríamos recuperar as histórias dos sonoros - tema já focalizado no blog, assim como das experiências trazidas pela igreja na educação com os rádios cativos, onde apenas uma emissora era sintonizada. Sabemos que as rádios Pinto Martins e União da década de 1980, surgiram pelas motivações políticas que os grupos Fundo Mole e Cara Preta travavam. Ter uma rádio era e ainda é uma ferramenta de grande utilidade no jogo político, no sentido de se comunicar os ideais eleitoreiros destes grupos. Infelizmente o rádio AM em Camocim está em fase terminal. A Rádio Pinto Martins fechou , agora tendo uma versão FM, e a União funcionando com visível defasagem técnica na aparelhagem ultrapassada. No entanto, um fato novo nessa disputa entre as rádios locais foi o advento da RÁDIO COMUNITÁRIA PROMOÇÃO FM - 98.5, que no ano de 1997 se a memória não me trai, trouxe uma nova opção e um novo jeito de fazer rádio em Camocim. Lembro bem que, dispensado por um diretor da então Rádio União de um programa esportivo, cujo horário era comprado por mim e o Marco Ximenes, ficamos sem prefixo e matutando um jeito de voltar às ondas hertzianas. Tendo acesso à uma legislação que permitia a fundação de rádios comunitárias no país, formamos um grupo que deu forma e vida à Promoção FM. O Serviço de Promoção Humana - SPH, foi a associação que nos acolheu. Eu cuidei da papelada e da programação. Toinho Lima na parte técnica cuidou da torre e do transmissor, cedido naquele momento pelo empresário Eugênio Pacelli. Carlos Aquino trouxe consigo uma aparelhagem de estúdio e, numa bela tarde, jogamos o som límpido de FM para toda Camocim. Depois chegou mais gente e formamos conselhos para administrar a rádio. A novidade logo se espalhou e a rádio passou a exercer seu papel de porta-voz dos cidadãos camocinenses. Outras pessoas e grupos acharam também ser possível ter um canal dessa natureza e fundaram suas rádios, transformando-as para os mais diversos interesses. Infelizmente, aquele projeto inicial da PROMOÇÂO FM,começou a ter também outros interesses e, aliado aos problemas advindos com a legislação cada vez mais a favor das rádios ditas "oficiais", fizeram com que a "febre" passasse e a grande maioria delas fechassem. Hoje, o termo "comunitária" é apenas uma fachada legal e a maioria deste tipo de emissora estão servindo aos interesses de seus donos - os políticos. Um dia contarei mais detalhes dessa parte da história de Camocim, por enquanto, foi apenas um laivo de saudade que a foto acima me despertou.

Fonte: SPH - Núcleo de Estudos e Documentação Histórica - NEDHIS. Curso de História da UVA. Sobral-CE.

3 comentários:

  1. Caro Prof. Carlos Augusto,
    Também sinto a falta de uma rádio genuinamente comunitária em nossa cidade. Que tenha uma programação cultural, informativa e de prestação de serviços, onde a comunidade local seja sua legítima condutora. Um forte abraço, Prof. Antonio Junior.

    PS: creio que o texto que apresenta o blog contém um deslize. Não seria correto: "a gente só dá" ao invés de "só dar"? Favor verificar.
    Respeitosamente, Antonio Junior

    ResponderExcluir
  2. Sempre fico nessa dúvida, caro Júnior, mas, vou verificar, acho que você tem razão. Quanto ao post, obrigado pelos comentários e nos visite sempre.

    ResponderExcluir