O Blog:

Amigos e conterrâneos camocinenses, a gente só dar o que tem. Quando pensamos editar um blog, este foi o pensamento: doar todo nosso esforço na construção de uma ferramenta como esta para a divulgação pura e simples da nossa história. Contudo, essa é uma oportunidade de todos participarem desta empreitada, seja comentando, sugerindo, corrigindo e, efetivamente, participando dessa grande viagem que a História nos proporciona. Que nosso "POTE" nunca encha e sacie a todos!!!

sábado, 9 de junho de 2012

CAMOCIM DE PORTO E ALMA - O LIVRO QUE NÃO FOI

Capa: R. Pires.
Nos meus devaneios literários e até históricos, diria, preparei um opúsculo para comemorar os 128 anos do município de Camocim. Feitos os contatos, acabou saindo um CD room que acabou se perdendo em tralhas de mudança. Retomei a idéia dois anos depois para não deixar os 130 anos passar em branco, mas ficou na promessa da influência de um político que acho que poderia sair por um instituto que publica coisas do tipo na Assembléia Legislativa. Depois, tentamos emplacar junto ao município de Camocim uma lei que criaria um projeto editorial em homenagem ao escritor camocinense Carlos Cardeal. Já contei esta história aqui e não vou repetir. Ano passado, eis que chega a notícia alvissareira - o prefeito municipal autorizara a  Secretaria de Cultura a publicação não de um ou dez, mas, 11 livros! Os contatos foram feitos pelo amigo livreiro Olivar e eu teria a chance de enfim publicar o material. Deixei os originais com a pessoa escolhida pra fazer a revisão e tinha até data de lançamento - seria por ocasião do Salão de Artes de Camocim em setembro de 2011. Como não foi possível (e não sei o porque das razões), na ocaisão foram mostradas as 11 capas dos futuros livros. Ontem finalmente, chegou na minha caixa de e-mail a capa do tão sonhado e do que seria o "Camocim de Porto e Alma", produzida pelo web designer  R. Pires, que também fez as outras dez capas. Para não dizerem que sou pessimista, ainda faltam 06 meses para que eu possa enfim dizer que "Camocim de Porto e Alma" não foi o "livro que não foi".

Um comentário:

  1. É caro amigo e historiador Carlos Augusto, os frutos historiográficos camocinenses estão brotando, porém, infelizmente o governo municipal não consegue perceber que os nossos trabalhos enriquecem as memórias e histórias de nossa amada cidade. Se aproxima mais um aniversário da cidade, com ele nostalgias e lamentações sobre um passado que lentamente e significativamente vem sendo descortinado por alguns apaixonados por sua história...

    ResponderExcluir