O Blog:

Amigos e conterrâneos camocinenses, a gente só dar o que tem. Quando pensamos editar um blog, este foi o pensamento: doar todo nosso esforço na construção de uma ferramenta como esta para a divulgação pura e simples da nossa história. Contudo, essa é uma oportunidade de todos participarem desta empreitada, seja comentando, sugerindo, corrigindo e, efetivamente, participando dessa grande viagem que a História nos proporciona. Que nosso "POTE" nunca encha e sacie a todos!!!

domingo, 21 de abril de 2013

DOMINGO EM CAMOCIM - VAI DAR PRAIA?

Praia do Odus. Camocim-CE. Fonte: Arquivo de Mauro Viana.
Esta postagem vai fugir um pouco do convecional do blog. Numa dessas raridades de compartilhamento via facebook, deparo-me em pleno domingo com a foto acima. Impossível não se sensibilizar, não compatilhar. Logo me perguntam de que década é a foto e eu tento precisar dizendo ser da década de 1960, mas poderia ser antes ou depois, enfim, talvez quem postou inicialmente saiba a data correta. Mas, o mais importante é quem está à beira dos 50 como eu, pode usufruir desta paisagem típica de uma vila de pescadores encravada numa cidade portuária. Como a foto mostra, o casario ainda é rústico. e a área de praia se estendia para frente e o mar estava literalmente na porta de casa. Não existia calçadas, rua pavimentada, calçadões, nem a grande quantidade de canoas e bastardos que se vê hoje e a paz parecia reinar com mais vigor. Não á toa, nas primeiras décadas do século XX, Camocim era receitada por médicos como um ótimo lugar para se recuperar de males do corpo e do espírito. Não à toa, Raimundo Cela, o grande pintor cearense veio para Camocim se curar do pulmão e teve nesta paisagem de mar e pescadores seu grande tema de inspiração que conquistou os salões de pintura europeus e ainda hoje rende belas pinturas dos pintores locais, como por exemplo, Mauro Viana e Totõe. Esta sensação de quem não tem pressa é típica das regiões litorâneas e a foto transmite isso pela criança que anda pela areia da praia. De formas que, nesse saudosismo que a foto contém, impossível não lembrar da ansiedade que era a espera do domingo para ir á praia com os amigos saindo da Rua do Egito a pé e voltando por volta das três horas da tarde a tempo de almoçar e se preparar para a missa das cinco. Impossível não lembrar dos carnavais num tempo em que as famílias se reuniam na praia para uma confraternização momina. Meu pai tinha a mania de sempre no último dia de carnaval levar todo mundo. Até a mamãe saía do pé do fogão... Tenham todos um bom domingo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário