O Blog:

Amigos e conterrâneos camocinenses, a gente só dar o que tem. Quando pensamos editar um blog, este foi o pensamento: doar todo nosso esforço na construção de uma ferramenta como esta para a divulgação pura e simples da nossa história. Contudo, essa é uma oportunidade de todos participarem desta empreitada, seja comentando, sugerindo, corrigindo e, efetivamente, participando dessa grande viagem que a História nos proporciona. Que nosso "POTE" nunca encha e sacie a todos!!!

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

III SC 08 - A VOCAÇÃO NAVAL DE CAMOCIM

Navio "Camocim". Fonte:solariseditora.com.br
Com as recentes notícias de que há uma possibilidade de instalação de um estaleiro naval em Camocim com capital russo ou mesmo da intenção de Nelson Piquet também de criar um empreendimento da mesma natureza, há que se buscar na história algumas coincidências que puseram o nome de Camocim em evidência. Não à toa, em 1937, a Marinha Brasileira, através do seu Ministro Aristides Guilhem e do Presidente da República Getúlio Vargas orgulhavam-se de dotar a Armada brasileira de mais um navio mineiro, o terceiro, denominado "Camocim". Com efeito, o jornal "O Globo" de 11 de dezembro de 1937 estampava em primeira página: "PARA O BRASIL - UMA ESQUADRA CONSTRUÍDA PELOS BRASILEIROS". Em tipos menores e abaixo da manchete os dizeres: "Reaffirmaram-se hoje as grandes possibilidades no dominio das construcções navaes com o batimento da quilha do 'Camocim'".
Não somente pela coincidência histórica da utilização do nome Camocim como marco da indústria naval brasileira que realçamos a matéria do jornal carioca do século passado, mas também pela possibilidade de realmente um dia podermos noticiar que daqui de Camocim partem embarcações feitas pelas camocinenses, além de torcermos para que não seja mais uma promessa política em tempos pré-eleitorais.

Fonte: O Globo.11/12/1937.

Nenhum comentário:

Postar um comentário