domingo, 10 de abril de 2011

1O DE ABRIL - UM DIA NA HISTÓRIA


Poderia começar esta postagem dizendo (e, efetivamente estou) que no dia 10 de abril de 1972 os restos mortais de Dom Pedro I deixaram Portugal embarcados para o Brasil para fazer parte dos festejos patrióticos da então ditadura civil-militar comandada por Emílo Garrastazu Médici. Ou ainda da tragédia ocorrida em Recife no Circo Vostok em 10 de abril de 2000 onde cinco leões famintos devoraram o pequeno José Miguel dos Santos da Fonseca Júnior de seis anos, durante uma apresentação. Em 2007, a 4ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Pernambuco, condenou o circo a pagar a humilde família a quantia de R$ 1 milhão. Quantia que não trará Juninho de volta. O 10 de abril marcaria também a política brasileira em 1984 com o monumental comício de 1,2 milhão de pessoas gritando pelas Diretas-Já, na Candelária, Rio de Janeiro, que acabou ficando adiada por mais um lustro de anos. Nesta mesma data em 1970, a beatlemania chorava o fim do grupo de rapazes que encantaram e embalaram o mundo a partir do Cavern Club de Liverpool. Enfim, datas interessantes, marcantes, trágicas e festivas compõem a linha do tempo. No entanto, a história não sabe quase nada sobre um distante 10 de abril, sábado, há quase 50 anos no ignoto lugarejo de Baixa dos Caripinas, município de Luis Correia, Piauí. Naquele dia nascia o rebento inicial de uma prole de oito filhos do casal de um jovem agricultor e de uma mulher mesmo jovem, já marcada pelas desídias da vida. Esta criança hoje está mais criança ainda, apesar das marcas do tempo, sentindo as dificuldades, como seus pais sentiram, de criar suas crianças, mas, devotando a elas todo o seu esforço em educá-las. Aprendeu com os pais que a educação é o único bem que ninguém lhes tira. Esta criança-jovem-homem maduro aprendeu a amar sua cidade e trilhar seu caminho com muito esforço e alguma sorte. Hoje ela não gostaria de receber presentes materiais, tipo agenda, canetas, livros. Seu maior presente seria ver e usufruir de uma cidade administrada com seriedade, principalmente nos campos da educação, da cultura e do trabalho, onde as pessoas não fossem marcadas como gado por suas posições políticas e/ou ideológicas, que todos fossem irmanados num só objetivo: a construção de um lugar onde as pessoas pudessem viver bem e livremente, sem peias ou máscaras e não tivessem que buscar isso em outros lugares. A natureza será sempre a fonte de inspiração dos escritos dessa criança que um dia sonhou em ser escritor, mas, que o destino lhe legou outras tarefas para sobreviver. Este cometimento foi inspirado na foto acima, lugar que a criança em questão gostaria de estar hoje. Bom domingo a todos!

Foto: Vando Arcanjo

2 comentários:

  1. Parabéns pelo texto e parabéns pelo seu aniversário!

    Fco. Souza

    ResponderExcluir
  2. Obrigado Francisco. Continue acessando o blog e divulgando-o.

    ResponderExcluir