O Blog:

Amigos e conterrâneos camocinenses, a gente só dar o que tem. Quando pensamos editar um blog, este foi o pensamento: doar todo nosso esforço na construção de uma ferramenta como esta para a divulgação pura e simples da nossa história. Contudo, essa é uma oportunidade de todos participarem desta empreitada, seja comentando, sugerindo, corrigindo e, efetivamente, participando dessa grande viagem que a História nos proporciona. Que nosso "POTE" nunca encha e sacie a todos!!!

terça-feira, 5 de abril de 2011

CAMOCIM E O JIPE - UM CARRO QUE FICOU NA HISTÓRIA


Acreditem, o bom e velho JEEP tem o seu dia. A data de ontem, 04 de abril foi dedicada a este veículo forjado nos campos de batalha das primeiras guerras mundiais e depois adaptado para os mais diversos usos no campo e na cidade. Hoje, diversas organizações e confrarias se criam em torno deles, muito diferentes, luxuosos e mais possantes do que aqueles que costumávamos a ver nas décadas de 1950 a 1970, principalmente. Em Camocim, conta-se nos dedos quem conserva um jipe, tido como relíquia de família e objeto de recordação familiar. Conheço o do Geovane Tahim, herdado de seu pai Hipólito, o de um senhor que mora no Bairro da Praia que não consigo lembrar o nome agora e não sei por onde anda o velho Jipe 55 do saudoso Setembrino Véras. Ah! o Sr. Edmundo Fontenele tinha um cujo paradeiro desconheço. Qual fim terá levado o jipe do ex-vereador Adroaldo Moura e do Edmundo Lopes? Minha sogra Dona Terezinha tinha um também, no qual ainda desfilei dirigindo algumas vezes todo pachola em domingos ensolarados rumo à Praia das Barreiras. Quando ela vendeu para um argentino, fiquei com um misto de inveja do hermano endinheirado que "roubou" meu sonho de um dia comprá-lo. Mas, porque estou a digressar sobre o jipe? Não somente pela descoberta que ele tem um dia, mas, principalmente porque nas minhas pesquisas sobre a cidade, na documentação da Prefeitura, ele serve para tudo, nas notas empenhadas em nome de seus proprietários. É táxi para levar ao prefeito à Fortaleza. É ambulância para acudir um doente à Santa Casa de Sobral. É viatura policial para perseguir ladrões e atravessadores de peixes que ousavam em descumprir a lei da cancela imposta pelo Prefeito Setembrino Veras e vendê-los em outros municípios. Por fim, lembro agora de um jipe pilotado pelo pai do Penafiel, o conhecido Raimundo Paraná, que provocava temor na cidade dirigindo em alta velocidade nas ruas arenosas de Camocim com umas "quatro na cabeça". Ah! já ia esquecendo do velho e resistente jipe do Jonas Filho que é capaz de depois de ligado ir sozinho bater lá na Praia do Maceió. Outro veículo teve sua história muito ligada à Camocim - a RURAL, chegando a ser conhecida nacionalmente como as "Camuncins", mas isso é outra história que um dia contarei quando tiver coragem...

Foto: Jipe usado em 1954 na recepção à Juscelino Kubitschek em campanha política em Camocim. Placa: Camocim-Ce. 89-65. Arquivo do blog

4 comentários:

  1. Obrigado grafando com a luz. seria interessante que jipeiros engrossassem a lista de comentários

    ResponderExcluir
  2. Caríssimo professor Augusto,

    Lendo sua postagem sobre os jipes de Camocim, não poderia deixar de lembrá-lo do jipe do meu falecido e amado pai, o conhecido Batista (da Coelce). Ele adorava jipes... e o dele era bem conservado! Você lembra?

    Um grande abraço!

    Michelle Lima Pinheiro

    ResponderExcluir
  3. Lembro de um jipe verde sem capota do sr. Nilo que passava na frente da minha casa diariamente, na direção da oficina do sr. Pedro Rufino.

    A propósito professor Carlos Augusto, você teria alguma foto dos ônibus que faziam a linha Camocim-Fortaleza antes da Ipu Brasilia?

    Abraço!!

    Fco. Souza

    ResponderExcluir