O Blog:

Amigos e conterrâneos camocinenses, a gente só dar o que tem. Quando pensamos editar um blog, este foi o pensamento: doar todo nosso esforço na construção de uma ferramenta como esta para a divulgação pura e simples da nossa história. Contudo, essa é uma oportunidade de todos participarem desta empreitada, seja comentando, sugerindo, corrigindo e, efetivamente, participando dessa grande viagem que a História nos proporciona. Que nosso "POTE" nunca encha e sacie a todos!!!

sábado, 7 de maio de 2011

OS "CAMARADAS" DE CAMOCIM


O combate ao comunismo em Camocim e no Brasil, como sabemos, foi muito intenso. Os órgãos de repressão não brincavam em serviço, como está sendo mostrado na novela do SBT, "Amor e Revolução" e, nessa atmosfera, tudo era motivo para se prender ou denunciar os "subversivos", muitas vezes apenas pelos laços de amizade com membros do partido ou mesmo por ter algum livro considerado proibido em sua biblioteca. Pesquisando no Arquivo Nacional encontramos alguns processos referentes aos militantes comunistas de Camocim, principalmente, Francisco Theodoro Rodrigues, fundador do PCB local e Pedro Teixeira de Oliveira (Pedro Rufino). Contudo, uma lista de presos de Sobral e Camocim, chamou-nos atenção por trazer outras pessoas, além das já conhecidas da efetiva militância e , colocando no mesmo rol, integralistas e comunistas. Na lista abaixo, constam apenas as pessoas de Camocim e o respectivo sumário.


Relação de militantes comunistas e integralistas presos pela repressão nos anos 1936 e 1942. Sobral e Camocim.

Nome: João Farias de Sousa, vulgo “Caboclinho”

Nº de Ordem: 88

Página: 30

Filiação: Francisco Raimundo de Sousa e Vitalina Farias de Sousa.

Profissão: Operário

Data da prisão: 07/04/36

Motivo da prisão: Comunista

Data da liberdade: 22/04/36

Nº do prontuário: 100

Observação: Foi processado e absolvido pelo TSN, por deficiência de provas. É identificado sob o Nº 952.

Nome: Petronio Pessoa dos Santos

Nº de Ordem: 105

Página: 31

Filiação: Antonio Francisco dos Santos e Edith Santos1

Profissão: Guarda-livros

Data da prisão: 20/04/36

Motivo da prisão: Comunista perigoso

Data da liberdade: 22/04/36

Nº do prontuário: 117

Observação: Pelo mesmo motivo foi novamente preso em 17/06/36 e solto em 16/07/36. Elemento agitador de greves entre a classe operária de Camocim-CE. Foi processado e absolvido pelo TSN, por deficiência de provas. É identificado sob o Nº 1.566.

Nome: Virgílio Tavares e Silva.

Nº de Ordem: 109

Página: 31

Filiação: Virgílio Viana da Silva e Francisca Viera da Silva Tavares.

Profissão: Funcionário Público Federal

Data da prisão: 11/04/36

Motivo da prisão: Comunista

Data da liberdade: 18/04/36

Nº do prontuário: 130

Observação: Elemento participante da extinta Aliança Nacional Libertadora;

Nome: Fernando Veras

Nº de Ordem: 112

Página: 31

Filiação: Joaquim Francisco da Fonseca e Leonilda Veras Coelho.

Profissão: Comerciante

Data da prisão: 13/04/36

Motivo da prisão: Comunista

Data da liberdade: 18/04/36

Nº do prontuário: 133

Observação: A sua prisão foi efetuada em Camocim-Ceará.

Nome: João Pascoal de Melo ou João Pascoal Coêlho.

Nº de Ordem: 114

Página: 31

Filiação: Luciano José de Melo e Francisca Marques de Melo

Profissão: Funcionário Público Federal

Data da prisão: 18/04/36

Motivo da prisão: Comunista

Data da liberdade: 18/04/36

Nº do prontuário: 135

Observação: A sua prisão foi efetuada em Camocim-Ceará.

Nome: Joana de Oliveira Cabral

Nº de Ordem: 115

Página: 31

Filiação: Paulino de Oliveira e Maria Oliveira Cabral

Profissão: Costureira

Data da prisão: 13/04/36

Motivo da prisão: Comunista

Data da liberdade: 18/04/36

Nº do prontuário: 136

Observação: Foram encontrados em sua residência manifestos da propaganda comunista. A sua prisão foi efetuada em Camocim-Ceará.

Nome: Pedro Teixeira de Oliveira, vulgo “Pedro Rufino”.

Nº de Ordem: 125

Página: 32

Filiação: José Rufino de Oliveira e Leonília Maria de Oliveira

Profissão: Comerciante

Data da prisão: 07/05/36

Motivo da prisão: Comunista

Data da liberdade: 07/05/36

Nº do prontuário: 146

Observação: Pelo mesmo motivo foi novamente preso em 15/06/36 e solto a 04/07/36. Foi processado e absolvido pelo TSN, por deficiência de provas. É identificado sob o Nº1701.

Nome: Francisco Teles de Sousa, vulgo “Francisco Bordalo”

Nº de Ordem: 186

Página: 37

Filiação: Pedro José de Sousa

Profissão: Ferreiro

Data da prisão: 26/06/36

Motivo da prisão: Comunista

Data da liberdade: 06/07/36

Nº do prontuário: 213

Observação: Pelo mesmo motivo foi novamente preso em 18/07/36 e solto a 05/08/36. Na sua residência foi apreendido um rifle. Foi processado e absolvido pelo TSN, por deficiência de provas. É identificado sob o Nº 1726.

Nome: José Ferreira de Sousa, vulgo “Dedé”.

Nº de Ordem: 201

Página: 38

Filiação: Raimundo Ferreira de Sousa e Maria José do Carmo.

Profissão: Ajudante de Chauffer

Data da prisão: 26/06/36

Motivo da prisão: Comunista

Data da liberdade: 01/07/36

Nº do prontuário: 213

Observação: É identificado sob o Nº 1712.

Nome: Raimundo Ferreira de Sousa ou Raimundo Pereira de Sousa, vulgo “Raimundo Vermelho”.

Nº de Ordem: 203

Página: 38

Filiação: Raimundo Maximiano Saraiva e Angela Maria Madalena

Profissão: Agricultor

Data da prisão: 24/06/36

Motivo da prisão: Comunista

Data da liberdade: 07/08/36

Nº do prontuário: 233

Observação: Foi processado e condenado a um ano de reclusão, tendo o TSN julgado prescrita a ação penal. É identificado sob o Nº 951.

1 O nome correto da mãe é Judith Pessoa dos Santos.

Foto: Pedro Teixeira de Oliveira (Pedro Rufino). Arquivo do blog.

10 comentários:

  1. Professor, muito importante este registro para a história da luta comunista.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado Charles!
    No entanto, muito dessa história ainda precisa ser contada para as novas gerações...

    ResponderExcluir
  3. Quando criança na rua Humaitá,sentado na calçada de minha casa ao lado de meus pais nas tardes de varão ficava a observar os transeuntes um deles se destacava era o comunista Caboclinho Farias na época logo após o golpe de 1964 a propaganda anti-comunista era fortissima,lembro que algumas pessoas principalmente crianças olhavam com desconfiança para o velho revolucionário,lutador pela democracia pela liberdade e principalmente pela construção da sociedade dos comuns(comunistas)dirigida pelos trabalhadores com prioridade para as necessidades dos seres humanos e a felicidade de homens e mulheres do mundo todo.

    ResponderExcluir
  4. Caboclinho, ainda farei um post sobre ele. pena que não tenha nenhuma foto dele para ilustrar.

    ResponderExcluir
  5. Primeiramente gostaria de lhe dar os parabéns pelo garimpo que tem feito pela procura de fatos interessantíssimos da nossa querida terra.
    O segundo agradecimento é pela menção que fez nessa reportagem aos meus parentes José Ferreira de Sousa, vulgo “Dedé” falecido em 2010 aos seus 96 anos meu avô e meu bisavô Raimundo Ferreira de Sousa ou Raimundo Pereira de Sousa, vulgo “Raimundo Vermelho".
    O motivo pelo qual envio este comentário é uma solicitação dos arquivos que você tem sobre o motivo das prisões, apenas meu bisavô foi condenado, sabemos que um dos motivos foi pela contribuição ao partido no que ocasionou o "massacre do salgadinho", mas sempre tivemos algumas dúvidas sobre o real interesse de o terem mantido preso.

    Grato

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. EXELENTE TRABALHO, EU DIRIA UMA JOIA LAPIDADA ESSE RESGATE HISTORICO DA NOSSA TERRA. ME RECORDO DE MEU PAI QUANDO CONTAVA DAS REUNIÕES SECRETAMENTE COM ARTIGOS DE JORNAIS ESCONDIDOS NA CAPANGA. AS IDEIAS COMUNISTAS FERIAM OS INTERESSES DE MUITOS OPRESSORES.

    ResponderExcluir
  8. Caro Jandson,
    Com relação às suas questões digo-lhe que o que eu consegui pesquisar, estão no jornal "O Democrata" na Biblioteca Menezes Pimentel em Fortaleza, e alguns processos no Arquivo Nacional no Rio de Janeiro. As partes mais importantes foram publicadas em artigos que escrevi no "O Literário" e no livro "Cidade Vermelha". Quanto à prisão do "Seu Dedé", creio que tenha sido pelo fato da polícia tê-lo encontrado no Salgadinho juntos com os militantes assassinados, além de ser filho do seu "Raimundo Vermelho". Seu Dedé chegou a me dizer que estava lá porque trabalhava na roça que seu pai tinha lá no Salgadinho, ou seja, tava no lugar errado na hora errada. No entanto, a polícia não queria saber muito disso... Ao Miranda, gostaria de saber quem era seu pai.

    ResponderExcluir
  9. Prof.Carlos Augusto a pesquisa que realiza sobre os comunistas camocinenses tem uma grande importância para o resgate histórico desses verdadeiros hérois do povo brasileiro e desmentir as horriveis mentiras e calúnias dirigidas a eles.Para ilustrar meu comentário nearrarei uma peça da propaganda anti comunista tendo como protagonista o Sr. Pedro Teixeira de Oliveira.Assim como conheci Caboclinho Farias também conheci "Pedro Rufino" e estava em Camocim por ocasião de sua morte ocorrida- se não me engano -no pesado inverno de 1974.Naquele ano as fortes chuvas danificaram várias casas principalmentes as mais antigas do centro da cidade,os túmulos de alvenaria do semitério também foram afetados pelo aguaceiro e o do revolucionário Pedro Rufino não escapou do fenômeno gerando o seguinte comentário " as rachaduras que surgiram no túmulo de Pedro Rufino era um claro sinal de que quem é comunista nem a terra quer". Como criança não entendia o verdadeiro objetivo daquele absurdo comentário que pretendia demonizar um grupo de homens e mulheres que tiveram coragem de enfrentar os poderosos golpista anti democratas,torturadores,assassinos e fascistas,pregando os ideais de uma nova sociedade centrada nas necessidades dos seres humanos e não no desenfreado lucro como é a atual sociedade capitalista.Um abraço!

    ResponderExcluir
  10. Infelizmente, Grafando... até hoje este tipo de pensamento e preconceito de vez em quando ainda aparecem entre nós, em conversas informais ou mesmo na mídia. Prova disso é só acessar o "Camocim Online" que repercutiu esta matéria e sofreu comentários irados de uma pessoa que se esconde num pseudônimo. Obrigado por narrar este episódio no sentido de ilustrar este comentário

    ResponderExcluir