Páginas

sábado, 27 de julho de 2019

CAMOCIM E O ELIXIR DE NOGUEIRA

Anúncio do Elixir de Nogueira. Fonte: Revista D. Quixote - RJ, 1921. Anno 5, nº 201, p.4

O que um simples anúncio de remédio pode revelar para a história? Muito mais do que a gente pensa. Numa época em que a indústria farmacêutica e a mídia ainda não tinham o arsenal de mídias que possuem hoje, os anúncios em jornais em revistas, além do rádio, era a maneira de propagar os efeitos de seus produtos, sem falar dos propagandistas de feiras a percorrer o país.
Mas, hoje vamos enfocar os anúncios dos remédios em revistas de circulação nacional, como a D. Quixote do Rio de Janeiro. Uma dos recursos de marketing da época era o depoimento de pessoas, impressos nas revistas, contando como foram curadas, oriundas de várias cidades do país. Neste sentido, encontramos vários destes depoimentos enviados de Camocim, quase sempre por indivíduos da chamada "sociedade", ou seja, da elite local.
No anúncio destacado, enaltecendo os efeitos curativos do Elixir de Nogueira, observa-se no depoimento do Sr. Francisco Menescal Carneiro, identificado como Redator Chefe do jornal "O Rubi", que o mesmo foi curado "de um forte reumatismo no peito", e que sua mulher e uma filha que sofriam de "flores brancas", foram completamente curadas. "Flores Brancas" era o nome popular para candidíase
Além de se visualizar uma foto do jornalista Francisco Menescal Carneiro, muito rara para os dias de hoje, sabemos pelo anúncio que o Elixir de Nogueira era vendido em todo o Brasil e países da América Latina como Argentina, Uruguai, Bolívia, Chile, dentre outros.
Por uma simples carta datada de 1917 e anunciada numa revista em 1921, podemos ter várias informações e possibilidades de se ver a história da cidade. Este é o seu fascínio!

sábado, 13 de julho de 2019

RELIGIOSOS DE CAMOCIM. PADRE CLÁUDIO




Padre Antônio Cláudio de Oliveira. Fonte: https://diocesedetiangua.org


No começo deste mês Padre Cláudio nos deixou. O menino que nasceu no bairro de São Francisco aos 15 de setembro de 1962, fez a páscoa definitiva em 02 de julho de 2019, bem próximo de completar 30 anos de sacerdócio, o que ocorreria na próxima terça-feira, 16 de julho de 2019.
O filho do Sr. Raimundo Firmino de Oliveira e da Dona Cândida Silva de Oliveira, portanto, ainda não tinha 57 anos completos.
O garoto Antônio Claudio de Oliveira iniciou seus estudos, segundo o Prof. Benedito Genésio, numa 

"turma de alfabetização em 1967 do SPH confiada à Prof.a MARIA DAS DORES ALEXANDRE (CEMILDA) por indicação da Irmã Áurea, na então igrejinha de S. Francisco. Posteriormente, foi professor da Escola de Promoção Humana(EPH), um desdobramento daquela turma de alfabetização, que funcionava no Centro Comunitário S. Francisco"

Iniciado na carreira religiosa, foi ordenado em 16 de julho de 1989. Na missa de corpo presente em Camocim, o Bispo Dom Edmilson ressaltou ser ele o último padre remanescente do bispado de Dom Timóteo. Nestes quase 30 anos de vida sacerdotal, Pe. Cláudio assumiu as seguintes funções: 

Vigário Paroquial da Paróquia Sant'Ana - Sé Catedral - Tianguá/CE, Pároco da Paróquia Nossa Senhora das Graças - Graça/CE, Administrador Paroquial da Paróquia Santa Luzia - Oiticicas/CE, Pároco da Paróquia Bom Jesus dos Navegantes - Camocim/CE, Pároco da Paróquia Santo Antônio - Chaval/CE, Pároco da Paróquia São Pedro - Ibiapina/CE, Assistente Eclesiástico das Equipes de Nossa Senhora, Juiz Auditor na Câmara Eclesiástica da Diocese de Tianguá/CE e atualmente exercia também a função de Administrador da Área Pastoral Nossa Senhora Imaculada Conceição – Inhuçú – São Benedito/CE.

Missa de corpo presente de Padre Cláudio. Igreja de São Francisco. Camocim-CE. Foto: arquivo do blog.
Desde março deste ano que Padre Cláudio vinha sendo internado seguidamente No Hospital do Coração em Sobral, com o diagnóstico de insuficiência cardíaca. Com seu falecimento, aconteceu em 03 de julho a missa de corpo presente na Igreja de São Francisco, celebrada por Dom Edmilson, Bispo da Diocese Tianguá e todo o clero do bispado, dentre outros companheiros religiosos.
No município de Camocim foram emitidas várias notas de pesar e a Prefeitura Municipal decretou três dias de luto oficial (Decreto 0702001/19).

Requiescat in pace!




Fontes:
Camocim Online
Benedito Genésio (Facebook)