Páginas

domingo, 3 de novembro de 2019

OSWALDO CRUZ E SUAS IMPRESSÕES SOBRE CAMOCIM

Há muito tempo que procurava uma documentação sobre o Porto de Camocim, relativa a viagem empreendida pelo sanitarista Oswaldo Cruz no começo do século XX. A expedição ficou conhecida como a "Viagem aos Portos do Norte e Nordeste do Brasil" e desenrolou-se entre os anos 1905 a 1906. Com efeito, desde que assumira o posto de Diretor Geral de Saúde Pública em 1903, defendeu a necessidade de se levar para outras regiões do país as ações de saneamento que estavam sendo realizadas por ele no Rio de Janeiro. Assumira então o compromisso de que, tão logo fosse controlada a febre amarela na capital, iria se dedicar à reformulação dos serviços de saúde dos portos marítimos e fluviais brasileiros", no intuito de " promover a defesa sanitária de seus portos contra a invasão de doenças como o cólera e a peste bubônica".
Sabedor de que a expedição passara pelo Porto de Camocim, recorri a amigos no sentido de buscar essa documentação. No entanto, só agora a mesma está disponibilizada através das cartas que Oswaldo Cruz escrevia à sua esposa Emília Fonseca Cruz de cada porto por onde passava.
A viagem iniciou-se a "28 de setembro de 1905, acompanhado de seu secretário, o médico João Pedroso, Oswaldo Cruz embarcou no rebocador República rumo ao norte do país. Levava na bagagem um plano para a construção de hospitais de isolamento e de estações de desinfecção em cada local a ser visitado.
Experiência pioneira de contato com um Brasil praticamente desconhecido nos grandes centros urbanos, esse trabalho teria continuidade alguns anos depois com as expedições científicas do Instituto Oswaldo Cruz. Será principalmente a partir delas que o país tomará consciência da dramática realidade de sua gente mais sofrida: a população dos sertões brasileiros.
Sobre Camocim, Oswaldo Cruz, depois de enfrentado o  mar revolto típico de novembro ao chegar ao nosso porto, escreveu á sua mulher, dentre outros detalhes:

2 de novembro de 1905
"... Camocim, pequena cidade nova, porto importante do Ceará, ponto de partida duma estrada de ferro que vai a Ipu, passando por Granja e Sobral. Coisa interessante: eram 5 hs da manhã e todas as casas já estavam abertas e as famílias sentadas tomando café! Que madrugadores!"


Como resultado da viagem, o "chefe da DGSP anunciou que em Caravelas, Mossoró e Camocim seriam instaladas delegacias de saúde tendo em vista a importância desses portos e volume de transações comerciais que transcorriam lá. Providências significativas seriam tomadas nesses e nos demais portos: construção de estações de desinfecção para navios e desinfectórios para os passageiros e habitantes, hospitais de isolamento, fornecimento de barcos de desinfecção, com a nomeação de profissionais adequados a esses serviços. Tais ações de prevenção de doenças transmissíveis seriam iniciadas no ano de 1906, destinando-se a elas alguns milhares de contos (SAÚDE PÚBLICA, 1905, p.1). Há que se considerar que esse auspicioso plano geral de saneamento dos portos não veio a ser concretizado nos anos posteriores (FUNDAÇÃO, 2002,p.113)".














Fonte: BEZERRA, Mariza Pinheiro. NOS SERTÕES DO NORTE: SAÚDE PÚBLICA E SANEAMENTO NO MARANHÃO,(1889-1930). Rio de Janeiro. 2019.