sexta-feira, 13 de maio de 2022

O 13 DE MAIO EM CAMOCIM E A ESCRAVIDÃO



Fonte: https://curitibaspace.com.br/rua-treze-de-maio/ 


Antigamente o 13 de Maio, Dia da Abolição da Escravatura, era mais do que uma data magna. Era feriado. Nesta data, era comum os discursos de louvação à Princesa Isabel e ao seu ato que "libertou" os escravos do Brasil (13 de maio de 1888). Com o revisionismo histórico a data foi perdendo espaço para uma outra, o da morte de Zumbi dos Palmares (20 de novembro de 1965), líder do maior quilombo do Brasil. O 20 de Novembro é hoje consagrado como o Dia da Consciência Negra no Brasil.

Como Camocim também é Brasil, os ecos da escravização negra também chegou por aqui. Neste sentido, arrumando melhor o nosso blog Camocim Pote de Histórias, você pode encontrar postagens relacionadas com o tema, abaixo relacionadas:

 "O Traficante e a Escrava";  "Firmino Beviláqua - o traficante de escravos"; "Porto de Camocim na rota da liberdade escrava"; "O Escravo Raymundo de Camocim"; "Escravos e a Estrada de Ferro de Sobral"; "A Escravidão em Camocim (2015)" e a "SC-5. A Escravidão em Camocim. (2011).

No entanto, confesso que ainda é muito pouco, mas, já é um começo para que outros pesquisadores possam aprofundar esta questão em nosso município.

Em tempo: Camocim JÁ TEVE uma rua como o nome 13 DE MAIO, em alusão á data da Abolição dos Escravos. Atualmente, é a RUA ALCINDO ROCHA (Antonio Alcindo Rocha), ex-prefeito, nomeado na Era Vargas e que ficou 03 (três) meses no comando do município (Julho a Outubro de 1945).

Foto: https://curitibaspace.com.br/rua-treze-de-maio/ 

quinta-feira, 12 de maio de 2022

PINTO MARTINS. I CENTENÁRIO DO VOO NOVA IORQUE-RIO DE JANEIRO


Filmagens do Documentário Euclides Pinto Martins. Camocim-CE. 2022. Foto: Tadeu Nogueira.


    Por conta do I Centenário do Voo Pioneiro de Pinto Martins (New York - Rio de Janeiro, 1922-2022) fomos bastante solicitados por escolas, instituições para palestras, gravação de videos, etc. Essas experiências, ensejaram outras demandas que apresentaremos junto à Comissão de Organização das Festividades alusivas à data em epígrafe.  Logicamente, que outras propostas surgirão nessa comissão e, por enquanto, tornamos públicas às nossas do Coletivo de Historiadores, que se somarão à outras, como a Revitalização da Praça Pinto Martins e às atividades didático-pedagógicas a serem realizadas nas escolas municipais:

1, Em parceria com a Câmara Municipal, pensar a outorga da Comenda Pinto Martins à pessoas físicas e jurídicas em 19 de dezembro de 2022.

2. Reforma integral da Casa de Pinto Martins (Biblioteca Pinto Martins).

3. Aquisição de material artístico-plástico da AMARTES para instituição de um Memorial na Biblioteca Pinto Martins).

4. Fazer injunções junto à VIRA LATA Produções Artísticas- RJ, no sentido de ver a possibilidade de exibir o documentário sobre Pinto Martins, realizado no mês de abril em nossa cidade na inauguração da praça em dezembro, numa sessão em praça pública.

5. Lançar mais 03 (três) livros da Série História Camocinense, e uma SEGUNDA EDIÇÃO do livro PINTO MARTINS. UM VOO NA MEMORIA E NA HISTÓRIA do aviador camocinense

6. Organização e implementação de um espaço de memória e pesquisa sobre a HISTÓRIA DE CAMOCIM para professores e estudantes sob a responsabilidade do COLETIVO DE HISTORIADORES DE CAMOCIM. Sugestão de espaço: antiga sede da Guarda Municipal de Camocim. Estação Ferroviária. 

7. Lançamento da PLATAFORMA PINTO MARTINS - Banco de Dados sobre o município de Camocim em todas as áreas do conhecimento, que poderia funcionar neste espaço acima referido e disponibilizado virtualmente em canais específicos.


 

sexta-feira, 25 de março de 2022

94 ANOS EM 100. A LONGEVIDADE DO PARTIDO COMUNISTA EM CAMOCIM-CE

Francisco Theodoro Rodrigues, "Chico Teodoro". Fonte: ONH


Pedro Teixeira de Oliveira. "Pedro Rufino". Fonte: Arquivo do CPH.


Em 25 de março de 1922 o Partido Comunista Brasileiro (PCB) era fundado em Niterói, Rio de Janeiro. Cinco anos depois, em 1927, o mesmo se dava em Fortaleza, capital do Ceará. No interior do estado, um ano depois, era fundado em 25 de março de 1928, o Comitê Municipal do PCB em Camocim, se tornando a primeira célula interiorana do partido.
Portanto, hoje, os comunistas de todo o país celebram o centenário do partido político mais antigo em atividade. Em Camocim, a mesma data completa 94 anos. 
Entre marchas e contramarchas, períodos de legalidade e ilegalidade, repressão e apagamento da memória, a militância conseguiu sustentar uma ideia revolucionária de entendimento da sociedade que o fez se tornar "perigoso", caracterizado de "alienígena" e outros adjetivos negativos durante toda sua existência, para os setores conservadores desta mesma sociedade.
Neste sentido, a semente plantada em 1928 em Camocim, por homens destemidos como o professor Francisco Theodoro Rodrigues e o motorista Pedro Teixeira de Oliveira (Pedro Rufino) (fotos), dentre outros, ainda produz frutos, tendo hoje o PCdoB como herdeiro desta tradição de "Cidade Vermelha", que ainda hoje Camocim é conhecida.
Parabéns aos militantes, antigos e novos camaradas, como se dizia antigamente entre eles.



 

domingo, 6 de março de 2022

HISTÓRIA DO ENSINO SUPERIOR EM CAMOCIM. O CAMPUS DA UVA

       
Relação dos Aprovados no Vestibular da UVA. Camocim-CE. 1995. Fonte: Arquivo do CPH.



    Meios de comunicação da administração municipal e do Governo do Estado anunciam a criação do campus avançado da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA) em Camocim, dentro do programa de expansão das universidades cearenses no interior do estado.
             Como se noticia, inicialmente o Campus da UVA em Camocim funcionará com os cursos de Contabilidade e Engenharia de Pesca. Para isso, está sendo preparada uma área de 10 hectares no bairro Nossa Senhora de Fátima onde será construído a sede do campus. Inicialmente, quando começarem estes cursos, funcionarão na EEEP Monsenhor Expedito da Silveira de Sousa, localizada no bairro Cidade Com Deus
                Mas, a história da UVA com Camocim vem desde o século passado. Em 1995 foi celebrado um convênio entre a Prefeitura Municipal de Camocim e a UVA que fundaram em nossa cidade o Campus Avançado de Difusão Tecnológica do Vale do Coreaú, funcionando o Curso de Pedagogia que começou instalado no Instituto São José, passando posteriormente para a Estação Ferroviária.
    Nesta primeira fase o campus teve a coordenação do saudoso Professor Rodrigues e funcionou até 2005. Nesta década de presença em nossa cidade, o campus ofertou cursos, além de Pedagogia, licenciaturas específicas como administração, biologia, ciências contábeis, português, matemática, educação física, dentre outros, 24 no total, além de cursos profissionalizantes através do Centro de Vocação Tecnológica - CVT.
        Hoje, o blog recupera a lista da primeira turma de Pedagogia selecionada através do primeiro vestibular realizado em Camocim, publicada em 01 de abril de 1995. Confira se seu nome está na lista.
        
 Fonte: Arquivo do blog Camocim Pote de Histórias.

terça-feira, 1 de março de 2022

HISTÓRICOS PLUVIOMÉTRICOS DE CAMOCIM. 1929

 

Informações Pluviométricas de 1929. Fonte: Anuário Estatístico do IBGE. 1930, p. 51.


Não querendo entrar na seara do pesquisador Luiz Gonzaga, mas, quando encontro uma informação meteorológica de antigamente, salvo logo nos meus arquivos. 
Hoje, pela manhã, acordo com o rádio dizendo que os dados da FUNCEME para o mês de fevereiro, ficaram abaixo da média, cerca de 40% a menos do que se esperava. Embora que em janeiro a expectativa tenha ficado acima da média, o dado preocupa.
Mas, como março é o mês que realmente marca o começo do nosso "inverno", esperamos que nossos índices fiquem igual ou acima do que foi registrado no ano de 1929, como mostra a gravura acima. 
Naquele ano choveu, 1.350 milímetros, portanto, acima da nossa média anual,  em 123 dias de chuva.
E aí, o inverno vai ser bom ou não vai?





quarta-feira, 26 de janeiro de 2022

SERIE HISTÓRIA CAMOCINENSE. FAÇA O DOWNLOAD DOS LIVROS

 

Foto oficial do lançamento da Série História Camocinense. Camocim. 24 de janeiro de 2022
Fonte: Site da Prefeitura Municipal de Camocim.
















PREFEITURA DE CAMOCIM FINANCIA PUBLICAÇÃO DE 4 NOVOS LIVROS SOBRE A HISTÓRIA DE CAMOCIM






Na noite desta segunda-feira, 24 de janeiro, Dia Internacional da Educação, a Prefeitura de Camocim promoveu o lançamento de 4 novos livros, de autores do próprio município, que contam a história da cidade. A noite de autógrafos ocorreu durante a Jornada Pedagógica 2022, evento da Secretaria Municipal de Educação que marca o início do ano letivo. Os livros, cuja produção foi financiada integralmente pela Prefeitura Municipal de Camocim, foram distribuídos a todos os professores que participaram da Jornada Pedagógica.

A Historiadora Maely Alves de Mesquita lançou o livro “A cantoria nas ondas das rádios AM de Camocim”, inspirada na obra de seu pai, o radialista, poeta e musicista camocinense Damião Libório. Professora Maely traz um recorte das relações políticas e culturais que envolvem as rádios de nossa cidade entre 1979 e 1989.

Francisco da Paz Pessoa, mais conhecido como Professor Sílvio Paz, da Rede Municipal de Ensino, lançou a obra “Camocim respirava esse ar de música”. A pesquisa do historiador aborda os tradicionais festivais de música de Camocim, realizados entre os anos de 1986 e 2003. Sílvio Paz convidou para o lançamento o compositor camocinense Chico Sabiá.

O Professor, Historiador e Mestre em História Edcarlos da Silva Araújo lançou a obra “Depois da meia-noite”. O livro narra experiências extraordinárias, transmitidas por intermédio de lendas e mitos, que contam um pouco do cotidiano de Camocim entre os anos 1950 e 1969.

O Professor Adjunto da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA), Carlos Augusto Pereira dos Santos, Mestre e Doutor em História e Pós-Doutor em Estudos Culturais, é organizador da “Série História Camocinense”. Neste novo livro, “Miolo de Pote”, o historiador reúne as melhores histórias publicadas em dez anos de existência do blog “Camocim Pote de Histórias”, mantido pelo professor.

Noite de autógrafos

Por questões de saúde, os professores Carlos Augusto e Edcarlos Araújo não puderam estar presentes à noite de autógrafos. Registramos, assim, os depoimentos dos professores Maely Mesquita e Silvio Paz, que representaram os 4 autores na noite:

Maely Mesquita: “É uma honra para mim estar aqui, hoje, lançando esta obra. Eu sou filha de Camocim, e filha do poeta Damião Libório. Este livro é uma celebração à vida de meu pai, que faleceu no dia 24 de janeiro de 2014, exatamente 8 anos atrás. Eu prometi a ele que escreveria esse livro quando terminasse minha faculdade de História, sobre as duas paixões da vida dele: a rádio e a cantoria. Eu ia todo dia pro colégio Santa Maria Goreti ao som da viola do meu pai. A comunicação, a poesia, o cordel, a cantoria, o forró pé-de-serra, o baião, tudo isso está dentro do meu coração. Essa obra historiográfica é isso, um pouco do que o nosso município viveu nesse trecho entre 1979 e 1989, período em que vivemos a ditadura civil-militar, quando muita coisa foi censurada, mas a cantoria como cultura prevaleceu. As ondas do rádio eram utilizadas politicamente, eu trato sobre isso na obra, mas a cantoria trazia essa alegria ao sertanejo, e eu desejo que vocês levem esse conhecimento histórico para a sala de aula. Eu sou professora de história e me alegro muito em escrever, ensinar a história do meu município.”

Silvio Paz: “Estou muito grato por estar com vocês aqui neste momento. Poder entregar o fruto de um trabalho para toda sociedade camocinense, saber que meu esforço será algo útil, especialmente para nossas escolas. Escrever um livro é algo fantástico, em especial na nossa cultura, não é todo dia que vemos pessoas do interior como a gente escrever um livro. A possibilidade da gente criar é muito bom, seja você compor um simples poema, e mais fantástico ainda é quando você sabe que esse algo que você criou escapa da sua mão e permanece de maneira positiva junto à sua comunidade, seja escolar ou de forma geral. E é com essa alegria que estou muito grato com o município por ter me proporcionado chegar até aqui e entregar essa obra aos nossos alunos! Esse livro é um trabalho de pesquisa que fizemos há 2 anos, era um sonho meu bem antigo, poder contar a história dos nossos festivais de música de Camocim. O nosso livro trata o período de 1986, primeira edição dos festivais, até 2003. Nesse meio tempo houve algumas pausas, mas o livro traz todo esse legado da dimensão do que foi o Festival para Camocim. Eu sou muito curioso, então me perguntava: cadê nossas músicas? O que aconteceu com aquelas letras, com os nossos artistas, com nossos compositores? Então comecei a vasculhar, e com orientação do amigo e professor Carlos Augusto, conseguimos concluir essa obra. Lá estão as letras de algumas músicas conhecidas como Boi Magia, Os Meninos, de Edmar Gonçalves, e a vida de compositores como Batista Sena e Chico Sabiá.”

CLIQUE NO LINK E BAIXE OS LIVROS

https://camocim.ce.gov.br/2022/01/26/prefeitura-de-camocim-financia-publicacao-de-4-novos-livros-sobre-a-historia-de-camocim/