Páginas

quinta-feira, 27 de maio de 2021

RESIDENCIAL BONITO III. O MAIS NOVO CONJUNTO HABITACIONAL DE CAMOCIM

 

Residencial Bonito III. Camocim-CE. 2021. Fonte: Camocimmotovlog088.

 

Em postagens anteriores já historiamos os vários conjuntos habitacionais em Camocim, desde a famosa Vila Falcão. Com terminologia diferente, os conglomerados habitacionais agora recebem o nome de "Residenciais". A "casa de conjunto" ficou para trás. Os novos projetos contemplam espaços para futuras mudanças e reformas, para que a casa fique de acordo com as condições e posses de seus moradores, sem falar da construção de espaços comuns de reunião e recreação, com infraestrutura de água, esgoto, energia elétrica e de casas adaptadas para pessoas com deficiência. O Residencial Bonito III em Camocim, atende a estes requisitos básicos.~

Residencial Bonito III. Camocim-CE. 2021. Fonte: Camocimmotovlog088.

 

Mas o que é uma casa? Principalmente para quem não tinha uma ou vivia em condições precárias de moradia? pára o filósofo Gaston Bachelard a casa é "o nosso primeiro universo", "um grande berço", se apresentando como proteção, estabilidade, e sossego (BACHELARD, 1989, P.358).

Depois de entregues fui presenciar a chegadas dos moradores beneficiados. No semblante de cada um percebi a alegria daqueles que chegavam com seus móveis, tralhas e antenas parabólicas. Fiquei a pensar em como se processava na cabeça de cada um aquilo que o escritor moçambicano Mia Couto diz em um dos seus romances: "O Importante não é a casa onde moramos. Mas, onde em nós, a casa mora" (COUTO, 2003, p.54).

 

A partir de agora aquele espaço pertence a estes novos moradores que o transformarão com certeza, fazendo dele seu novo universo. O tempo mostrará. Neste sentido, já propus acompanharmos estas mudanças, a começar por historiar as trajetórias destas famílias que agora habitam o Residencial Bonito III.


Fontes: 

Camocimmotovlog0088.

BACHELARD, Gaston. A poética do espaço. São paulo: Martins Fontes. 1989.

COUTO, Mia. Um rio chamado tempo, uma casa chamada terra. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.